Compartilhe uma Mensagem de Bom Dia e faça sorrir quem ama! O melhor abraço é aquele que se recebe sem pedir nada!

Cadastro no Mensagens de Bom Dia

Seu endereço de Email:

Com a ajuda de FeedBurner

Direitos reservados a RM2U. Tecnologia do Blogger.

Estudar para melhorar . . .


estudar para melhorar


Para a maioria de nós, a experiência de estudar para um exame pode ser mesmo um pesadelo e gerar um pânico total! Você tem por exemplo, apenas 18 horas, exausto e sentado lá olhando para uma folha de equações cheia de rabiscos. Por quê?  E logo logo vai pensar :” Por que não comecei mais cedo?” Vamos então trabalhar neste post, um pouco mais essa ideia de Estudar para melhorar!


Estudar para melhorar - Velho dilema humano

Acredite ou não, existem forças agindo contra você, afastando você de começar bem cedo   para que você possa aprender sem estresse esta nova matéria. Aqui estão algumas das razões pelas quais você não começa seu estudo mais cedo  e o seu principal inimigo!


Aqui estão algumas das razões pelas quais você não começa seu estudo mais cedo e descubra quem é o seu principal inimigo!


Você está antecipando o trabalho duro

A procrastinação é geralmente vista como esse defeito de caráter de culpa compartilhado quase universalmente por todos os alunos do colégio e universidade. Por outras palavras, é o ato de  adiar uma ação inevitável. O problema é que sabemos exatamente o que vai acontecer no momento de realização dessa ação e por isso mesmo, simplesmente adiamos para outro dia. Lembra do velho ditado popular:” Não deixes para amanhã o que podes fazer hoje!”  ?


Ao contrário dos animais silvestres, os seres humanos são conhecidos por serem cognitivos: nós conservamos os recursos mentais sempre que possível, especialmente quando enfrentamos tarefas secundárias e não "essenciais para nossa sobrevivência".


Em outras palavras, adiamos estudar até o último minuto porque :
  • Sabemos que o trabalho é difícil e requer muita energia mental;
  • Até que haja a ameaça de realmente fracassar no exame (e, portanto, potencialmente sermos “humilhados publicamente”, não estamos com a dor emocional suficiente para nos motivar a começar a estudar.


Além disso, quando o seu cérebro antecipa múltiplos resultados que são vistos como “dolorosos” (a dor do estudo versus a dor de deixar a faculdade) você fica imobilizado, não vendo motivos fortes o suficiente para ter esse conceito de estudar para melhorar, domine seu pensamento e o aterrorize e faça com que não enfrente logo esse desafio que tem à você.


Se pensar um pouco, rapidamente vai entender de que nada serve adiar o esse “confronto” pois se existe apenas um caminho e foi você que escolheu esse caminho, para chegar ao porto que você quer, esse problema vai sempre ser uma pedra no seu sapato no seu caminho.


Programe a tempo para si mesmo primeiro e depois preencha as lacunas com o tempo de estudo.

Como Niel Fiore discute em best-seller clássico, The Now Habit, parte da razão pela qual você procrastina é porque você não vê fim na luz do túnel.


Pense na diferença entre uma corrida dos 100 metros e de uma maratona com os seus 42 quilômetros. No primeiro caso, você pode dar o máximo de esforço porque pode ver a linha de chegada e saber que terminará em breve.


O corredor de maratona não tem tanta sorte. Por isso o seu método de estudar para melhorar vem da visualização dessa meta pois sabe que há um longo caminho pela frente, cheio de dor e exaustão, e, inconscientemente, conserva seus esforços para garantir que consiga atravessar a meta dos 42 quilômetros.


Isto é tudo para dizer, se você sabe que você vai sair no dormitório do seu amigo e tomar um chope por uma hora depois de estudar, você é muito mais provável que queira investir uns momentos na gestão em primeiro lugar, relaxando depois do trabalho intenso do estudo.


Como seu trabalho de estudo se expande durante mais tempo, como dias ou semanas, ao programar menos tempo para estudar, você se torna mais produtivo e focado, ficando ao mesmo tempo menos estressado.


No estudar para melhorar, você não se pode privar do sono

Os estudantes que se forçam durante semanas ou semanas de noites de sono de 4 a 6 horas, estão deteriorando significativamente dois aspectos de seu desempenho mental críticos para estudar para os exames: motivação e capacidade de concentração.


Estudos mostram que o sono ruim afeta negativamente a motivação. Mas, na verdade, ninguém precisa de estudar para lhes dizer o quanto pior sua visão da vida é quando você está cansado e mal humorado apenas por não ter dormido bem ou não ter dormido as horas suficientes para descansar.


A capacidade de concentração, de manter a atenção focada durante períodos prolongados de tempo, também é significativamente reduzida durante um período de privação de sono aguda (ficar acordado a noite inteira) ou crônica (cortar o sono por vários dias).


Defina um alarme no seu celular “Estudar para melhorar” no final do dia e respeite-o

Sim, estudar de forma mais consistente durante menos tempo, permitirá que você  disperse o estudo por um período mais longo; portanto, valorizando seu descanso e sono tranquilo. Mas, na verdade, tudo não passa de uma questão psicológica.


Há um milhão de coisas que preferimos fazer acordados do que estudar. Este é o velho problema de galinha / ovo: se eu não durmo, eu procrastino estudando; mas se eu for para a cama eu vou ter que me levantar e estudar. Mais uma vez, é você que perdeu, independente da sua escolha! Você precisa de quebrar  esse ciclo.


Defina um alarme no celular. Mas não de manhã. Defina o seu alarme por 45 minutos antes, quando você deve dormir e se permitir dormir por 8 horas completas. Se você assumir essa responsabilidade e aceitar que deve estudar para melhorar, ficará surpreso com quantas horas de tempo livre parecem se materializar.


Tempo de estudo + tempo livre + sono = alunos felizes e bem-sucedidos.

Você tem uma falsa sensação de segurança e tomar como garantido o estudar para melhorar



Você pode pensar que está sendo um aluno diligente, sentado na sala de aula, ouvindo atentamente, copiando página após página de anotações do professor. Você pode até estar acompanhando e levantar a mão aqui e ali. Mas há uma grande diferença entre sentir que você entende algo e realmente conseguir reproduzi-lo em um teste.


No estudar para melhorar, Isso é o que chamamos de aprendizado passivo, e é a melhor maneira de garantir que você gaste muito tempo e esforço tentando aprender material novo, sem realmente poder reter e apreender nada disso.

Faça perguntas a você mesmo

Não se deixe enganar pelas explicações excessivamente lógicas do seu professor. Lembre que essa pessoa  já conhece toda a matéria, então é fácil para ele explicar de uma maneira que os outros acham compreensível. O verdadeiro desafio é se você pode ou não fazer o mesmo.


Se você está se perguntando se realmente entende alguma coisa, questione-se. Ou melhor ainda, explique a alguém (ou a si mesmo, mas esteja avisado: as pessoas tendem a olhar pois podem não entender o que você está fazendo).


Como Einstein gostava de dizer: "Se você não consegue explicar de forma simples, então você não entendeu o suficiente!” por outras palavras, vai ter que estudar para melhorar a sua resposta e argumentos.


Ao questionar a si mesmo, você terá uma dose de realidade de saber se realmente conhece o material ou não, em vez do que a maioria dos alunos faz: suponha que eles saibam até a noite anterior ao teste, quando eles surtam porque podem não faz nenhum dos problemas da prática.


Olhe o estudar para melhorar como um ser vivo que se mexe



Nem todo o tempo de estudo é igual pois nem todas as pessoas precisam do mesmo tempo de estudo  e nem todas as matérias requerem de você o mesmo empenho!


Fato: sete horas de estudo durante 7 dias é muito mais eficaz (mais aprendizado por tempo gasto) para entender material novo do que 7 horas de estudo num dia. Isto é especialmente verdadeiro para cursos técnicos com novos conceitos e vocabulários  que você precisa saber.


Pegue seu tempo de estudo e divida-o em dias diferentes. O cérebro usa uma tonelada de energia (20% da nossa taxa metabólica de repouso) e há muito o que você pode gastar por dia. Para maximizar a retenção de material novo, você quer aproveitar o aprendizado e a recuperação ativos, tornando mais fácil o estudar para melhorar.


Como o cérebro consolida novas vias neurais durante o sono, particularmente durante o sono REM, quanto mais ciclos de sono você intercalar entre as horas de estudo, mais provável é que você retenha o material e seja capaz de eliminá-lo no dia do teste.


Isso também permite que você aproveite a repetição espaçada. Em vez de revisar constantemente seu material para mantê-lo na vanguarda da sua memória, você pode seguir um ciclo de intervalos de tempo cada vez maiores entre as sessões de revisão (a “curva do esquecimento”), diminuindo o tempo total necessário para aprender material que você pode ter esquecido desde o início do semestre, quando a final rola ao redor.


A ilusão do planejamento no estudar para melhorar

Os seres humanos superestimam sistematicamente o que pode ser realizado a curto prazo e subestimam o que pode ser alcançado a longo prazo.


Ironicamente (e infelizmente), só temos esse problema avaliando nossas próprias tarefas - fornecendo uma imagem bem precisa de quanto tempo as coisas levarão ao avaliar objetivamente a situação de outra pessoa.
Use a regra de 50% no estudar para melhorar. Calcule o mais conservador possível, quanto tempo levará para estudar para o seu exame, desde que você comece cedo e trabalhe consistentemente.


Feito?


OK. Agora, adicione 50% a essa estimativa.


Isso lhe dará uma visão mais precisa de quanto tempo você realmente precisa de ter disponível para começar a estudar para melhorar os seus conhecimentos.

Você acha que tem mais tempo de estudo suficiente



Puxe o seu horário de domingo. O que você vê? Ah, parece que eu tenho muito tempo livre das 16h às 22h. Perfeito, vou apenas espremer 5 ou 6 horas de estudo e depois terminar a noite.


Tente novamente. São mais de 2-3 horas. Este é outro tipo de erro de planejamento: superestimar quanto tempo produtivo podemos extrair de um determinado período.


Coisas que tendemos a esquecer: precisamos comer; precisamos dormir; haverá interrupções (sim, como se você realmente desligasse seu celular).


Mas outra coisa que falhamos em explicar: o corpo passa por ciclos de atividade de 90 a 120 minutos (chamado de Ritmo Ultradiano). Assim, mesmo que você esteja sentado lá, destacando seu livro por 3 horas seguidas, você realmente só tem a capacidade de absorver material por 1,5 a 2 horas antes de precisar de um período de descanso.


Corte suas horas estimadas pela metade. Se você acha que tem 8 horas no domingo depois do jogo para estudar, esqueça. Você realmente tem 4 ou menos quando você tira tempo para comer, quebra e atividades diárias normais.

Estudar para melhorar - Motivação é precisa e tem que ficar focado

Muitos de nós tendem a sentar e esperar … Aguardar a onda de motivação para nos fazer finalmente começar a lição de casa em 24 horas, ou estudar para o período intermediário.


Aqui está o problema: a motivação vem e vai, mas as demandas da escola e da aprendizagem e a vida cotidiana não acontecem.  e novamente se foi um caminho que escolheu, o problema não se vai resolver sozinho. E se você está contando com sua motivação para manter seu foco, tudo o que você está fazendo vai estar em um estado perpétuo de atraso e de última hora, porque nunca há motivação suficiente para sair por aí.


Concentre-se no processo de estudar para melhorar, com o fim em mente.

Por que você está na escola? Por que você quer um diploma? Deixe claro exatamente quais são suas motivações.


Mas pensar no futuro não é suficiente. Essa visão do futuro que impulsiona sua intensidade emocional precisa estar ligada às suas atividades diárias. (por exemplo, “Cada dia que eu estudo para o exame, me aproximo um pouco de ser um profissional competente e de fazer a diferença na vida das pessoas”.)


Qual é o único conjunto de atividades a cada dia que praticamente garantirá o sucesso no seu curso?


E o que você pode fazer para organizar seu dia, criar incentivos, desistir de coisas que não importam, etc., para praticamente garantir que você fará aquele conjunto de atividades todos os dias, apesar da motivação?


Descobriu agora que o maior inimigo do estudar para melhorar é você mesmo?
Mude ! Aja agora!



[Voltar à Página Inicial]

0 Comentários:

Postar um comentário